01/09/16

Análise da escrita através de algoritmos biométricos



A biometria aplicada à escrita permite a identificação do autor de determinada escrita ou assinatura, servindo-se da captação e da análise de caraterísticas individuais únicas, deixadas sobre o suporte eletrónico.
Esta aplicação constitui um avanço na descoberta da falsificação de documentos manuscritos.
O grafólogo, servindo-se de um suporte monitorizado por um apropriado software, consegue observar e comparar, quantitativa e estatisticamente, determinados parâmetros fundamentais de identificação da simulação ou falsificação. Para que a perícia possa ser realizada com sucesso, a escrita terá que ser lavrada, previamente, sobre o referido suporte eletrónico.

O ritmo biodinâmico do cada escrevente, expresso através da motricidade fina, permite expressar, sob a forma de gráfico, as caraterísticas dos movimentos grafismos, tais como a aceleração ou abrandamento, a tensão ou pressão exercida, o tempo de execução, a angulosidade ou curvatura, a direção da linha de base, a dimensão e o grau de ligação e movimentos aéreos.
À semelhança do que sucede em outras ciências, como na medicina, a utilização da tecnologia na análise da escrita permite uma maior discriminação e precisão nos resultados do que os meios tradicionais. O ritmo da escrita é apresentado no hardware, assim como o ritmo cardíaco se apresenta no eletrocardiograma.
As sequências de algoritmos ficam ausentes de ambiguidade desde que estejam corretamente implementados, deem os passos específicos e segundo determinada ordem. A exatidão dos resultados pode ser comprovada matematicamente.

Porém, devido à complexidade e variabilidade da mente, do sistema nervoso e do comportamento humanos, exige-se uma redobrada atenção, aquando da recolha de dados, do seu tratamento e armazenamento. 

Sem comentários: