20/08/13

Profundidade versus superficialidade da escrita




Escrita superficial (A) e escrita profunda (B) observadas ao microscópio

Escrita profunda e superficial são dois polos opostos e complementares da escrita. O papel pode ser penetrado com força pelo instrumento gráfico, deixando um sulco profundo ou ser levemente tocado, deslizando com suavidade sobre a sua superfície.

No primeiro caso, o papel fica cheio de sulcos, porque a caneta penetra no papel e rasga as suas fibras, como um arado que lavra a terra bravia.

No segundo caso, o suporte mantem-se quase inalterado, à semelhança de uma superfície vítrea, em que a caneta desliza suavemente.

Na área da perícia da escrita manual, a profundidade e superficialidade assumem hoje em dia um papel fundamental, porque a pressão é um elemento relevante na avaliação da constituição psicossomática do escrevente.
A pressão exercida pela caneta está relacionada com a força vital (energia psicofísica, potência da libido) com a intensidade de sentimentos, com a sensualidade, com a capacidade de resistência, a firmeza ou a insegurança, a adaptabilidade, a força do impulso vital, a produtividade criadora e a sensibilidade aos estímulos externos.
Quando a pressão é profunda, estamos provavelmente perante um indivíduo com grande força emocional e física, persistente, corajoso, de libido forte, com poder de persuasão, com tendência ao comando, ambicioso, persistente, materialista, agressivo e independente. Num ambiente gráfico desarmónico, as tendências revelam-se mais negativas, representando fraca sensibilidade, escassa recetividade, fricções sociais ou depressão (se a escrita for lenta).
Quando a pressão é superficial, o escrevente tende a manifestar grande sensibilidade, delicadeza, capacidade de adaptação, recetividade, boa memória (M. Pulver), sentido crítico, altruísmo, reserva, recusa de conflitos sociais, compostura, desembaraço, predomínio da força inteletual e espiritual sobre a muscular e material. Porém, se o ambiente gráfico for desarmónico, poderá imperar a vulnerabilidade, a fraca combatividade, a inconstância e a influenciabilidade.

Sem comentários: