30/08/11

A escrita do esquerdino

O canhoto, no passado, era considerado um desajeitado, que se adaptava com dificuldade
 ao mundo feito à medida do destro. A discriminação negativa, baseada em preconceitos e superstições ligados à utilização da mão esquerda, muito comuns nos tempos idos e em várias civilizações, é, ainda, hoje, bem visível nalguns comportamentos sociais. 


Esquerdina do 12º ano, com 19 anos

São muitos os esquerdinos célebres, desde Leonardo Da Vinci até Bill Gates, passando Albert Einstein, que se destacaram no campo das ciências e das artes.

Na investigação que estou a ultimar sobre esquerdinos darei conta, neste blog, de alguns aspetos que poderão distinguir a sua escrita da dos destros.

 A criança, com tendência a utilizar predominantemente a mão esquerda, contrariamente ao que sucedia no passado, não deve ser contrariada, sob pena de prejudicar a qualidade da escrita e o sucesso educativo.
                                                                                Esquerdino do 1º ano, com 7 anos

Antes dos três anos não se encontra ainda definido o predomínio da lateralidade esquerda ou da direita. É, especialmente, no período pré-escolar e no início da aprendizagem escolar que se consolida a opção pela mão predominante. A criança começa a apresentar uma maior destreza de uma mão sobre a outra para escrever e para outras atividades. Nesta altura, o esquerdino tem que fazer mais esforço do que o destro para conseguir a mesma habilidade na motricidade fina.


O movimento da escrita da esquerda para a direita torna-se mais difícil para o esquerdino por sentir dificuldade em arrastar a caneta. O problema torna-se ainda maior, se não lhe forem ensinadas as técnicas apropriadas da escrita, como a posição da mão e do instrumento de escrever, a fim de não quebrar o ritmo nem esconder as palavras que acaba de redigir.

Enquanto o destro tem tendência a inclinar a folha para a esquerda, o esquerdino fá-lo para a direita. A escrita mais natural para o esquerdino seria iniciar as linhas e as palavras da direita para a esquerda, à semelhança da letra ao espelho.

Os esquerdinos encontram-se em todas as culturas. A sua percentagem talvez fosse maior se não houvesse ainda alguns contrariados por pressão social a escreverem com a mão direita.

Existem casos de ambidestrismo, em que o escrevente utiliza, com a mesma habilidade, qualquer das mãos. Quando a lateralidade for ambivalente, será conveniente que a criança opte pela mão direita. Pois, os esquerdinos encontram-se em desvantagem ao fechar uma torneira ou ao observar as horas num relógio, em que o seu funcionamento foi executado a pensar nos destros.
A principal causa do sinistrismo ou mancinismo é de origem genética, no predomínio  do hemisfério direito nos esquerdinos e do esquerdo nos destros.

Sem comentários: