19/11/10

Grafologia e Informática

A informática entra em quase todos os domínios da ciência e do saber. Facilita a investigação, abrevia o tempo de pesquisa, reduz custos e imprime rigor e objetividade. A tecnologia electrónica revolucionou a saúde, a educação, a atividade empresarial.
A substituição total do papel do perito caligráfico ou do grafopsicólogo não se adivinha útil nem possível no momento atual da evolução da informática ou, pelos menos, das aplicações que estão a ser feitas no domínio da grafologia.
A assinatura eletrónica e algorítmica, que já se encontra legalizada em muitos países e na União Europeia, é considerada segura e capaz de fazer prova em juízo.
Independente da forma que assume, a assinatura eletrónica, tal como a tradicional, deverá garantir os princípios da autenticidade (só o próprio consegue fazê-la), da irrefutabilidade (o próprio não a pode recusar) e da integridade (não alteração do documento sem o consentimento dos signatários).
No campo da grafologia também se estão avaliando as potencialidades e vantagens da sua utilização, desde os novos instrumentos de visualização e de reprodução até aos softwares de análise e de comparação.
A utilização deste dispositivo apresenta como vantagens a maior rapidez, a poupança do suporte papel e a redução de mão-de-obra. Como desvantagens podem referir-se o vírus informático, a impossibilidade de análise contextual e de deteção de anomalias psíquicas.
Como a escrita é resultante duma série de movimentos (motricidade fina), em que estão particularmente implicados a psique, o sistema nervoso central e os músculos do indivíduo, os actuais software não conseguem interpretar totalmente nos vários elementos que compõem a personalidade humana.
A captação de valores absolutos de determinados parâmetros são importantes para a análise grafológica, mas é preciso relacioná-los e contextualizá-los.
Os programas informáticos passarão a constituir cada vez mais uma ferramenta indispensável nas mãos dum perito competente .
Quando a capacidade de intuição e de dedução do grafólogo ou perito poder ser auxiliada e complementada pelos meios informáticos, não haverá qualquer objeção a colocar para a integração da análise eletrónica da assinatura ou do texto manuscrito. A informática é bem-vinda.

Sem comentários: