17/10/11

A escrita dos esquerdinos e dos destros


Velocidade dos esquerdinos ( a azul)  e dos destros (cor-de-laranja) por anos de escolaridade
         
Analisei a escrita de um grupo amostra, constituído por 102 esquerdinos, de ambos os sexos, desde o 1º ao 9º ano, nos aspetos de velocidade, angulosidade, dimensão, direção, inclinação, ligação, tipo de letra e concentração/extensão do enunciado.

Analisei, nos mesmos aspetos, um grupo de controlo, formado por igual número de indivíduos destros, com  idênticas caraterísticas quanto a idade, sexo e ano de escolaridade.

Os dados estatísticos, convertidos em médias e percentagens, levaram-se a concluir que:
·       A percentagem de esquerdinos é mais elevada no sexo masculino do que no feminino.
·       Os esquerdinos tendem a ser um pouco mais lentos que os destros.

·       A letra dos esquerdinos apresenta-se ligeiramente mais angulosa que a dos destros.

·       Nos primeiros meses de escolaridade a criança desenha carateres grandes. No final do 1º ano, as letras tornam-se mais pequenas, mas voltam a ganhar uma maior dimensão na fase da adolescência, especialmente junto das raparigas.
·       Não existem sinais claros para afirmar que a direção da linha dos esquerdinos é mais sinuosa que a dos destros.
·       Não se confirmou a tendência dos esquerdinos para inverterem a escrita, colocando-se em igualdade com os destros.
·       A ligação é uma constante, especialmente nos primeiros anos de escolaridade, porque faz parte do modelo que é ensinado na escola. A escrita dos esquerdinos apresenta o mesmo grau de ligação que a dos destros, sendo a destes ainda mais desligada nos anos mais adiantados.
·       Quanto à largura da margem, nos esquerdinos predomina a margem esquerda grande e nos destros a margem esquerda pequena.
·       O tipo de escrita ensinado é o cursivo. Por esse motivo, nos primeiros anos de escolaridade não se encontram quase nenhumas escritas tipográficas. Mais tarde, após a interiorização do modelo, o escrevente introduz carateres de imprensa.
·      Na medição do comprimento da frase, escrita manualmente, não se verificaram diferenças significativas entre esquerdinos e destros. As meninas é que se estenderam mais que os rapazes.
No caso de provada indefinição ou ambivalência na lateralidade e avaliando os naturais interesses e propensões do escrevente, será aconselhável a opção pela mão direita.
Com uma população mais significativa de esquerdinos, aumentaria a possibilidade de obter conclusões mais fortes, quer na distinção de diferenças, quer no estabelecimento de semelhanças.




2 comentários:

Verdade ou mentira? disse...

oi,td bem?Eu me interesso por esse tipo de coisa.Pode me dizer onde aprendeu?se foi em algum curso ou coisa do tipo?e pode me indicar algum?

Afonso Henrique Maça Sousa disse...

Aainda bem que se interessa por est ciência. Eu fiz duas pós-graduações na Universidade de Barcelona.
Existem na Europa outros locais onde se pode aprender. No entanto, se se encontrar em Portugal, poderá seguir um curso de iniciação que eu ou outros colegas poderão administrar.
Cumprimentos,
Afonso