27/01/10

Simulação ou autofalsificação de assinatura

Nesta breve análise, com a ajuda duma lupa 10X, vou apresentar as diferenças e semelhanças que existem entre as duas assinaturas, de modo a poder justifica que ambas pertencem à mesma mão.
No extracto C (escrito pela mesma pessoa que fez as assinaturas), notamos uma escrita muito ascendente e com os movimentos de extensão (abdução) predominarem sobre os de flexão (adução), exprimindo uma personalidade cheia de vitalidade, impulsividade e dinâmica.
A escrita normal do autor das duas assinaturas é bastante inclinada para a frente. A assinatura B tem uma inclinação vacilante: as primeiras três letras estão inclinadas para trás, a quarta e quinta letras são verticais e a última está inclinada para a frente. Nas primeiras letras prevaleceu a vontade consciente de traçar algo diferente; na letra u, em que cada perna parece puxar para seu lado, entra em acção o inconsciente que termina o nome com uma inclinação semelhante à da escrita habitual (inclinada para a frente).
O traço inicial das duas assinaturas arranca abaixo da linha de base e sobe em diagonal (mais pronunciada em A) formando um ângulo no vértice e outro na base, para em seguida desenhar um laço a fim de facilitar a ligação à letra seguinte. Na assinatura A, o traço parte de mais abaixo e constitui como que uma rampa de lançamento de todo um bloco de letras. Na assinatura B, o traço é mais curto e menos inclinado, devido à alteração da inclinação da maiúscula inicial.
Os ovais estão traçados no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio nas duas assinaturas.
A letra o mantém-se aberta à esquerda nas duas assinaturas.
Os traços de ligação das duas assinaturas são amplos entre as primeiras duas letras e entre as duas últimas. Todas as letras estão ligadas.
A letra a, no final, fecha à direita em qualquer dos casos. Na assinatura B, a letra a foi feita depois do traço de ligação que a atravessa.
A direcção da linha de base é ascendente em ambos os casos.
A altura das duas letras maiúsculas é semelhante nas duas assinaturas.
O traço final da última letra está presente nas duas assinaturas, mas é mais longo e mais horizontal na assinatura B. Este maior comprimento poderá ser interpretado como um espécie de lapsus calami (o movimento reprimido conseguiu no final evadir-se).
As dissemelhanças puramente exteriores verificadas e provocadas pela vontade de simular do seu autor não são suficientes para nos levarem a acreditar que as duas assinaturas foram traçadas por duas mãos diferentes. Pelo contrário, aspectos acima evidenciados garantem-nos que as assinaturas A e B foram obra do mesmo indivíduo, sendo A aquela que faz habitualmente e B a que foi realizada como disfarce.

Sem comentários: