05/07/09

Alberto Vaz da Silva

Alberto Vaz da Silva, licenciado em direito, ex-advogado, 72 anos, com 4 filhos, exerceu advocacia durante mais de 30 anos e há mais de 40 que se interessa pela grafologia. Gosta de astronomia; fez uma viagem ao Hemisfério Sul para ver grupos de constelações. Disse que as constelações também são uma escrita e que gostava de decifrar essa escrita
Este grafólogo português aprofundou a grafologia junto de Rosaline Crepy que utilizava um método específico, baseado essencialmente no significado simbólico de cada letra (maiúscula ou minúscula), algarismo e outros sinais gráficos. Vaz da Silva considera que a escrita é fascinante porque serve de veículo às mensagens do inconsciente.
Durante 5 anos, Vaz da Silva contactou pessoalmente com Roseline, já com 89 anos. A paixão pela escrita tomou conta deste grafólogo, continuador da obra e do método da sua mestra. Depois do exame que aquela fez da sua escrita, sentiu-se psicanalisado e descobriu-se verdadeiramente a si próprio.
Com gabinete no Centro Nacional de Cultura, em Lisboa, organiza Cursos de Iniciação à Grafologia, orienta Workshops, disponibiliza sessões de grafoterapia, consultas individuais, pareceres a empresas (especialmente no apoio à selecção de pessoal).
Considera que nasceu para se libertar a si e libertar os outros. E um instrumento para tal libertação é a escrita. Vaz da Silva afirma que “todo o arcaboiço da grafologia é psicológico” e refere que há escritas que o deslumbram porque “são como minas de ouro”.

3 comentários:

Rafael Coelho disse...

Sobre Vaz da Silva, posso acrescentar que dado o seu nivel cultural e considerando o seu registo biográfico, creio deve ser um dos principais estudiosos e técnicos em grafologia que existem em Portugal. Pois, já faz uso desta ciência em algumas das suas actividades profisssionais: dar pareceres, consultas e aulas. Sendo assim, estamos perante um professor e um génio desta ciência.
Deve seguir o azimute deste Senhor Vaz da Silva, para que possa ser no futuro um bom grafologista
Um abraço.
Rafael

Yvette Centeno disse...

Alberto, gostei muito de ler a entrevista! A vida é bem curiosa, tem a sua própria escrita....difícil é decifrá-la!Os sonhos são a outra escrita do inconsciente....Grande abraço, Yvette

Anónimo disse...

Adorei ler a sua entrevista!