20/01/09

Pernas

Pernas do p muito prolongadas, de senhora
As pernas formam a zona inferior da escrita, a zona do instinto, do biológico e das necessidades primárias. As letras que apresentam pernas são f, g, j, p, q, z e y. Na escola, as consoantes p e q são ensinadas a fazer sem bucle. Por isso, não é indiferente o formato com que cada escrevente as realiza. Aqui não se pretende esgotar todo o tipo de pernas, mas, apenas, dar exemplos significativos.
  • Pernas que descem e sobem pelo mesmo traço (quando não pertençam ao modelo aprendido) remetem para o medo de confiar nos outros e de se magoar.
  • Redondas na base indiciam sensualidade, desejo de chamar a atenção, alegria e diversão.
  • Inchadas, moles, inclinadas para a esquerda reportam para ligação à mãe e desejo de permanecer criança (num grafismo com outros sinais de imaturidade).
  • Prolongadas exprimem a necessidade de afirmação.
  • Muito curtas (associadas a hastes também reduzidas) diagnosticam auto-controlo, moderação, pragmatismo, egoísmo, fingimento e submissão.
  • Triangulares (em golpe de sabre) são sintoma de autoritarismo, de exigência, de combatividade, de espírito crítico, de exigência, de vivacidade e de energia dinâmica.
  • Regressivas induzem displicência, desconfiança e frieza afectiva.

    Quando as pernas e as hastes são tão curtas que a zona média parece a zona única, o escrevente está a dar prioridade ao eu íntimo, à emotividade e às relações com o meio.

Sem comentários: