08/12/08

Espaço

Escrita de menina, com grande espaço entre letras, entre palavras e entre linhas
O espaço revela o equilíbrio ou desequilíbrio psico-afectivo e o processo perceptivo-cognitivo e, ao mesmo tempo, relata-nos as zonas proibidas, os medos e as fobias. A mancha gráfica aparece distribuída de diversas maneiras na folha de papel, conforme o escrevente. E não só o espaço ocupado pelas letras e pelas palavras tem um significado psicológico, mas também o espaço deixado livre caracteriza o sujeito.
  • Espaço curto entre palavras (escrita apertada) pode reflectir modéstia, sentido de economia, prudência, discrição, falta de sentido crítico, instintividade, imediatismo, visão estreita, timidez, impulsividade, egoísmo, hipersensibilidade, necessidade de estar acompanhado e medo da solidão.
  • Espaço médio entre palavras pode corresponder a ponderação, ordem, análise, organização, clareza, independência, lucidez, introversão, capacidade crítica, predomínio da reflexão sobre a intuição, equilíbrio da mente e do carácter, raciocínio, eficiência, pouca espontaneidade e Adulto (grafopsicanálise transaccional).
  • Espaço grande entre palavras (domínio dos brancos) pode revelar capacidade crítica, raciocínio, organização, método, juízo, discernimento, meditação ou necessidade dela, distanciamento afectivo, visão do conjunto, saber guardar distância, hipercrítica, isolamento, dificuldade em estabelecer relações, incerteza, perplexidade, desorientação, mudança de opinião, vazio de ideias, introversão, solidão, insegurança e temor.
  • Espaço exagerado entre palavras pode assinalar hiper-autocrítica, sentido de isolamento e de claustrofobia
  • Espaço pequeno entre letras (justapostas ou adossadas) podem significar reserva, introversão, desconfiança, temor, evitar influências exteriores, não deixar espaço ao outro, menor impulso para a actividade, cuidado, economia, concentração, medo de se enganar, auto-limitação, restrição do sentimento, variabilidade de humor, preocupação, apreensão, inibição, recusa, falta de empatia para compreender os outros, subjectivismo, medo de avançar, egoísmo, avareza, ansiedade e Criança Adaptada Rebelde (grafoanálise transaccional).
  • Espaço médio entre letras pode corresponder a espírito de abertura, flexibilidade, maior impulso para a actividade, facilidade em relacionar-se com o outro, equilíbrio, extroversão, abertura, inteligência, simpatia, generosidade e adequada valorização do outro
  • Espaço grande entre letras pode interpretar-se como sinal de altruísmo, extroversão, magnanimidade, generosidade, facilidade de acção e de contactos sociais, adaptabilidade, conciliação, indulgência, dispersão, influenciabilidade, entusiasmo, simpatia, cedência, esbanjamento, instintividade, indulgência, perda do eu no tu, dar mais importância ao outro do que a si próprio e Pai Protector (grafoanálise transaccional).
  • Espaço pequeno entre linhas permite avaliar o grau de introversão, temor, tensão, impulsividade, economia de energias, segurança, calor humano e confiança.
  • Espaço exagerado entre linhas pode exprimir necessidade de isolamento, dificuldade de adaptação e de concentração, necessidade de clareza, timidez, distanciamento afectivo em que o super-ego impede o transbordo dos instintos, dos afectos e da imaginação.
  • Escrita arejada (boa distribuição entre o espaço da mancha de tinta e o dos brancos) pode provar bom equilíbrio geral, objectividade, reflexão, ponderação, independência, bom contacto social mas selectivo e adaptabilidade.


O leitor perguntará pela medida padrão para classificar estes espaços. Em Portugal, infelizmente, ainda não existem tabelas padronizadas, porém, deixo algumas dicas, já aplicadas noutros países, que podem ajudá-lo a conhecer-se melhor, através da análise da sua escrita:

  1. -A medição do espaço está directamente relacionada com a dimensão da zona média da escrita do escrevente.
  2. -A separação normal entre palavras corresponde à largura de um “m” minúsculo manuscrito, com três pernas.
  3. -O afastamento normal entre letras equivale, mais ou menos, a dois terços da largura dum oval.
  4. -A distância normal entre linhas é equivalente à altura de três “m” manuscritos.
  5. -Comparar o espaço deixado entre letras, entre palavras e entre linhas.
  6. -Observar o predomínio de cada tipo de espaço em vários documentos, se possível, de períodos diferentes.
  7. -O grau de presença de outros parâmetros, como a rapidez ou lentidão da escrita, alteram a avaliação.
  8. -Não aplicar estas normas a crianças, devido à falta de personalização da escrita.

Sem comentários: