03/02/08

Generalidades

A escrita, porque é o resultado visível e material de actos mentais, espelha a personalidade do escrevente, reflectindo no todo ou em parte o seu interior.
Não existem duas escritas completamente iguais, uma vez que não há nenhum indivíduo que seja totalmente idêntico ao outro.
A análise da escrita pode ser um excelente meio de nos conhecermos e darmo-nos a conhecer. Se a análise for feita por um profissional credenciado, o um grau de fidelidade dos testes grafológicos será igual ou superior ao dos vários testes projectivos actualmente existentes. E ainda apresenta a vantagem de o material para análise poder estar à nossa disposição, mesmo na ausência da pessoa que o produziu.
Mas convém prevenir que a escrita não revela tudo, nem duma maneira fácil nem total, porque não é uma arte de adivinhação, mas uma ciência humana. E como tal tem os seus limites.
A abordagem da personalidade humana é sempre complexa e requer interdisciplinaridade, seriedade e rigor.
Não basta olhar superficialmente para uma escrita, para a sua forma, e tirar ilações. É necessário um estudo aprofundado dos vários géneros e subgéneros. E depois de analisados vários documentos e ponderado o significado dos diferentes traços, é imperativo avaliar a sua relevância, no devido contexto e num todo, porque a personalidade de cada um, apesar de ser multifacetada, é uma unidade que não pode ser compartimentada nem fragmentada.

Sem comentários: