09/02/11

Escrita manual à lupa



Ao grafólogo, antes de fazer uma abordagem geral e uma análise pormenorizada, não interessa o conteúdo do texto, mas a forma, ou seja, a distribuição da mancha de tinta na folha do papel. Deve, pois, interrogar-se sobre o como? e não sobre o quê?

Tal não significa que o perito deva desprezar o contexto em que os factos ocorreram, porém, as justificações encontradas para concretização do ilícito ou para defesa do arguido devem ser invocadas pelas testemunhas e, especialmente, pelo advogado de defesa.

O perito é imparcial e o tribunal reconhece-lhe e exige-lhe essa imparcialidade. Não é contra nem a favor de ninguém, mas segue o princípio de neutralidade como o próprio juiz.

Analisa, compara, interpreta e avalia os resultados da sua pesquisa.
No texto ou na assinatura, ele procura encontrar aqueles elementos mais distintivos que fazem com que a autoria daqueles possa ser atribuída a uma e não a outra pessoa.

O perito serve-se da sua formação, da sua experiência, da sua intuição e, especialmente, dos instrumentos apropriados. E, trabalhando em equipa, consegue resultados surpreendentes, considerando que cada escrita é um ato individual e único. Ou seja, há sempre quaisquer gestos ou marcas que são específicos de determinado escrevente, o segredo está em descobri-los.

O modo como é colocada a pinta no i, a maior ou menor pressão, o sentido dos movimentos, os ângulos, os traços iniciais e finais das palavras são alguns dos parâmetros a confrontar para a individualizar a escrita e identificar o punho donde saiu.

Os dois exemplos apresentados supra ilustram bem como os pormenores é que fazem a diferença.

O “O” maiúsculo da figura A parece-se com uma espiral centrípeta, porque foi executado no sentido inverso ao dos ponteiros do relógio, movimento detetado devido ao rasgo inicial possuir pouca tinta e ser mais carregado. Comprovam, ainda, tal facto a maior pressão exercida nos traços descendentes e o final em forma pontiaguda.

O “O” maiúsculo da figura B é semelhante a uma espiral centrífuga. Nota-se que esta letra foi iniciada na parte central e traçada no sentido dos ponteiros dos relógio, devido ao facto de a esferográfica ter deixado certa acumulação de tinta no início do traço.

 
Deste modo, se as formas arredondadas de determinado escrito tiverem sido realizadas com movimento progressivo, o perito terá aqui mais um bom indício para atribuir a sua autoria à pessoa suspeita que habitualmente realizar os ovais nesse sentido.

Sem comentários: