13/12/08

Gestos-tipo

Gesto da mitomania, no final dos “o” , na escrita de menina, com 13 anos

Os gestos-tipo, como o próprio nome indica, são traços específicos dum dado escrevente, uma espécie de tiques gráficos. Exprimem manifestações instintivas e inconscientes, aspectos incontroláveis da pessoa, instintos, impulsos, necessidade de aparecer, formação do carácter, mecanismos de defesa e de compensação, complexos (dependendo da zona onde aparecem).
  • Gestos da mitomania - ricci della mitomania (no final palavra para cima ou para frente ou para baixo) indicam fuga da realidade, mitomania, ideias fixas e parasitárias, fantasia, vivacidade, estranheza, riscos de subjectivismo, distorção da realidade e quebra de regras. Neste e noutros gestos, sigo de perto a escola moretiana, quanto à designação e ao significado psicológico.
  • Gestos da confusão - Ricci della confusione (cortam as letras da própria linha, da seguinte ou da anterior) exprimem a confusão em todos os níveis da personalidade, fraca capacidade de discriminação dos estímulos, comportamentos impulsivos e desordenados.
  • Gestos da ocultação - ricci del nascondimento (traços finais para baixo e para trás) expressam reticência, cautela, capacidade diplomática, hipocrisia, introversão, insinceridade e ocultação de pensamentos.
  • Gestos de amaneiramento - ricci dell` ammanieramento (traços no início, no meio ou no fim da palavra) demonstram dissimulação, adulação, predisposição teatral, egoísmo encapotado de altruísmo e hipocrisia. Se forem para baixo, no início das letras podem significar insegurança ou medo de perder bens materiais.
  • Gestos do subjectivismo ou da espacialidade - ricci del soggettivismo (prolongamento horizontal excessivo do final da palavra, com pressão uniforme) assinalam necessidade de defesa do próprio território, colocação no centro de atenções, distinção, superioridade, orgulhoso, complexo de superioridade, insegurança, desconfiança, manutenção dos outros à distância e frieza no relacionamento social.
  • Gestos da vaidade (altura desmedida das letras iniciais ou maiúsculas) exprimem a necessidade de chamar a atenção e capacidade para representar.
  • Gestos do materialismo (para baixo, no final da letra) chamam a atenção para a preocupação com bens materiais, para a agressividade e para a precipitação.
  • Gestos do desleixo - ricci della sciatteria (traços frouxos e descendentes no final da palavra) traduzem desleixo, indolência, abulia e tendências materiais e sensuais.
  • Os gestos (pernas, hastes ou outros traços verticais ou horizontais) acerados assumem o significado de hipersensibilidade, perspicácia, inteligência, irritabilidade, penetração, penetrabilidade, impressionabilidade, insegurança, originalidade, hiperemotividade, ansiedade, agressividade, cólera, paranóia e masoquismo.
  • Gestos da espiritualidade (traços avançados na zona superior) marcam misticismo, criatividade, imaginação e fuga da realidade.
  • Os ganchos, os arpões e os triângulos (ou golpes de sabre) nas pernas, nas hastes ou noutros traços são sinónimo de tenacidade, resistência, egoísmo, teimosia, agressividade, vivacidade, audácia, desejo de mandar e de possuir, oposição, dinamismo, irritabilidade e agressividade.
  • Os golpes de chicote (formação dum laço antes de se projectar com impulsividade) reflectem imaginação, vivacidade, audácia, impulsividade, ambição e egoísmo.
  • Os laços (bucles dentro doutros bucles) representam habilidade manual, sedução, simpatia, vaidade, egoísmo e intriga.
  • As maças podem indiciar actividade, dinamismo, carga emocional, violência, inadaptação e brutalidade.
  • Os nós (pequenos laços) fornecem sinais de reserva, diplomacia, tacto, ocultação, falta de sinceridade, desconfiança e hipocrisia.

Certamente a sua escrita apresentará algum destes gestos ou outros não inventariados. Para captar melhor o seu significado psicológico é preciso avaliar o ambiente gráfico (positivo ou negativo) e a contextualizar cada um dos gestos.

Sem comentários: